05/02/09

...E os piores filmes de 2008

«The Happening» uma comédia involuntária

01 - JUNO/O ACONTECIMENTO

Nem sei qual é o pior dos dois. Por isso vai ser um ex aequo. Lembrei-me daquela balança que o Willy Wonka usava para saber quais eram os produtos estragados e que media a "ruindade" de cada um. O que prestava era usado na fábrica de chocolate o que não prestava, caía automaticamente num buraco directo para lata do lixo. Estes dois de certeza que nem precisariam da balança, são tão ruins, tão pretensiosos e, pior, tão inconscientes da própria ruindade que me fez rir no cinema. Risos nervosos de constrangimento.

02 - OS FRAGMENTOS DE TRACEY

Se este blogue fosse responsável pelos framboesas de ouro, o "oscar" dos piores do cinema, a chata da Ellen Page ganharia disparado este ano logo dois galardões pelas suas ridículas prestações neste filme cheio de boas idéias mas que foi completamente destruído por uma mão pesada e no «Juno» aqui acima. Ela se tornou numa espécie de ódio de estimação para mim que só de saber que ela está em algum filme, perco automaticamente o interesse por ele. Vai ser má actriz assim bem longe de mim.

03 - DESTRUIR DEPOIS DE LER

Nem consigo falar mal dos Coen simplesmente porque acho-os geniais e porque fizeram algum do melhor cinema indie dos últimos 20 anos. Mas esta má fase começada após o fabuloso «Brother, Where are thou?» parece que não tem mais fim. E o pior de tudo é que ainda lhes dão oscar por filmes medíocres, como no ano passado, aí eles acham que estão no caminho certo. Não rapazes, não! Voltem a ser o que eram. Voltem ao cinema de «Arizona Dream» e «Fargo». Nós suplicamos.

04 - UMA SEGUNDA JUVENTUDE

Quando eu era criança, e ouvia na televisão a ênfase e o respeito que emitia a voz do locutor da Globo quando anunciava um filme "de Francis Ford Coppola" eu pensava: este deve ser o Messias do cinema. Foi preciso alguns anos depois para ver que ele era um cineasta brilhante que variava muito entre o irregular e o muito bom. Esta experiência cinematográfica tão propagada com Tim Roth a levar o filme nas costas só confirmou a minha teoria. Gerou muita expectativa, alguns elogios da crítica mas fica aquém de tudo isso: é um desastre homérico de todos os tamanhos, redundâncias à parte.

05 - DIÁRIO DOS MORTOS

Este filme tem ali uns cinco minutos de qualquer coisa de genial que nos capta a atenção e faz ter esperança outra vez no cinema de género. Como se fosse preciso um mestre para fazer renascer os bons filmes de terror [ver o espanhol «REC»]. Erro absoluto, isto é mais um produto do mais preguiçoso e inerte cinema fantástico dos últimos tempos. Nem como série B engana, aqui é mesmo série Z.

4 comentários:

ArmPauloFerreira disse...

Caramba! Puxa... acho que devem haver filmes bem piores que o Happening e o Juno... eu até apreciei o primeiro e adorei o último (até a música).
Mas cada qual tem a sua visão... Mas é admirável a selecção que fez pois é até bem corajosa e contra-corrente do que a suposta critica conceituada considera bom cinema (e nesta lista estão alguns... Cohen, Coppola).
Ahh... e só 5 filmes é pouco. O resto?

Rachel disse...

quase toda a gente nao gostou do destruir depois de ler...EU ADOREI !!!! Achei um filme feito apenas para divertir, aprecio pessoas com sentido de humor, principalmente quando gostam de gozar ...q foi isso que os cohen fizeram.

Quando ao Juno... ruin? u like to tease...i got it :)

Wellington Almeida disse...

Paulo » Eu tbm adoro a música do Juno, mas não podemos chamá-la assim «musica do Juno» pois além de elas já existirem antes do filme, não fazem nada por ele. Nem a belissima Cat Power do final. Uma pena. A lista era bem maior, claro. Mas cortar para cinco era mais interessante.

Rachel » Como eu disse, tbm adoro Coen e o seu sentido de humor, mas este, para mim, foi uma lástima. Sou muito mais o despretensioso «Love Guru» do Mike Myers que está entre os principais nomeados aos "piores filmes" do ano para o Framboesa de Ouro. E isso sim é falta de sentido de humor.

Beijinhos, volta sempre ;)

O Puto disse...

Até entendo o teu ódio pelos filmes, e eu gostei de quase todos (alguns até muito), mas permite-me discordar quando abordas os irmãos Coen, que não sabem fazer filmes medíocres mesmo que quisessem. Abraço!