31/05/08

Amy Winehouse - Rock in Rio Lisboa

Foi triste e terno, ao mesmo tempo, ver uma jovem cantora no auge do seu talento em progressiva degradação como aquela que vimos ontem. Foi triste porque, apesar de todas as polêmicas em torno da excessiva exposição da sua vida pessoal, Amy confirmou todos os clichês à volta do mito e fez a festa dos seus detratores.
Foi terno porque, por momentos, pareceu quase que um ritual religioso, ela nos dava o seu máximo e nós, do outro lado, também. Um tremendo esforço coletivo, muito em grande parte do público que só estava ali para se divertir e ver a grande estrela da noite sair do palco com um pouquinho de dignidade. Eu, um fã confesso de Winehouse, fiquei de rastos. Queria ter ligado para ela no final do show a dizer que estava tudo bem. Mas não, não estava.
Tudo começou com 35 minutos de atraso e durou exatamente 55. Amy expôs sua imensa fragilidade à frente de quase cem mil pessoas. Chorou a meio de «Love is a Losing Game», quase caiu no palco duas vezes, derrubou o microfone outras tantas, esqueceu a letra do seu maior hit («Rehab») e afônica, limitava-se a sussurrar as letras das suas canções (uma salva de palmas aos seus backing vocals que constantemente estavam a salvá-la do embaraço).
Um concerto histórico e único, nas mesmas proporções daquele que os Nirvana deram em São Paulo no extinto Hollywood Rock em 1993. Onde a banda, completamente drogada, fez um dos piores shows da sua vida e Cobain teve a brilhante ideia de mostrar o pênis às câmeras da Globo e simular uma masturbação. Só esperamos, de dedos cruzados, que a bela Amy não tenha o mesmo fim.

3 comentários:

ArmPauloFerreira disse...

Pode-se dizer tudo de bom de todos os outros concertos mas aquele de quem sempre se vai falar vai ser realmente o da Amy Winehouse.
Todos os outros foram certinhos (vi apenas pela tv), alguns muito enérgicos mas pareceram ter pouca chama. Não sei... é o que me pareceu.. o da Amy... tinha muita chama para dar mas ela estava completamente a out...

http://armpauloferreira.blogspot.com/2008/05/rock-in-rio-lisboa-2008-pela-tv.html

mago disse...

Uma pergunta (meio indiscreta, e que não tem nada a ver com o post): o Videocentro de Telheiras diz-te alguma coisa? :)

Wellington Almeida disse...

Obrigado pelo comentário, Paulo!
Já fui ver o teus textos e gostei bastante.

Abraços.