02/01/07

Melhores de 2006 - descobertas e decepçoes

decepçoes...

Yeah yeah yeah's: Sei que sou um dos poucos a partilhar dessa opiniao, mas este «Show your bones» é o típico-difícil-segundo-álbum-de-uma-banda-com-uma-grande-estréia. O EP «Master» e o début «Fever to tell» de há tres anos foram tao bons que era quase impossível que eles fizessem um disco mau. Pois fizeram. Mesmo após várias audiçoes, só consigo ouvir a faixa de abertura deste álbum, «Gold Lion» (que aliás é muuuuuito parecida com uma música do Love and Rockets «No New Tale to Tell») e nada mais. A decepçao do ano de uma óptima banda.

Artic Monkeys: Claro que este nao é o pior disco de 2006. O facto de ele ocupar a primeira posiçao aqui é mais provocatório que por gosto pessoal. Até acho os rapazes simpáticos e de uma despretensao desconcertante, mas este disquinho insípido parecido com milhoes de outros e com aquele efeito de «variaçoes do mesmo tema» deveria ter sido esquecido na semana seguinte após seu lançamento. Ao invés disso, ocupou o primeiríssimo lugar nas listas das publicaçoes mais respeitadas como o melhor do ano. Ja ouvi dezenas de vezes e nao tem jeito: o disco é mesmo muito, mas muito chato. O conceito de «obra-prima» ainda vai mudar muito com a internet.


...e descobertas

Internet: Um «amém» para quem inventou o Soulseek. Até agora, o melhor programa para partilhar arquivos em mp3 que eu já usei. E eu já usei muitos. Nao troco o Soulseek por nada. Lá tem tudo, inclusive daquela banda Guatemalteca que faz rock progressivo experimental e que ninguém conhece, só voce. E o melhor de tudo: baixa álbuns em minutos!


Série TV: Ainda nao foi desta que uma sitcom tirou «Seinfeld» do topo das séries mais geniais da história. Mas este Extras quase chegou lá. Devorei o DVD com a primeira temporada (6 episódios + disco de extras) em uma noite. Da mesma equipa do «The office», a série conta as peripécias de Andy, um actor frustrado que só faz figuraçao nos filmes porque nunca conseguiu uma fala sequer para decorar. Cada episódio se passa num filme diferente e tem sempre o nome de alguém famoso (que aparece no mesmo). Os episódios «Kate Winslet» e «Samuel L. Jackson» sao a mais perfeita definiçao do que deveria ser o humor televisivo. Im-per-dí-vel!

4 comentários:

O Puto disse...

Tem graça que vi o episódio da Kate Winslet e delirei. Como vejo muito pouca televis?o, nunca mais apanhei nenhum episódio.

gonn1000 disse...

YYY, desilus?o? Já eu achei que superaram o primeiro disco.

wellington disse...

Gonçalo: Pois é, eu acho o disco mto chato :( Até tentei varias vezes, gostar dele, mas n?o dá. Ah, descobri por tua causa a faixa da Ellen Alien (que vi ao vivo no Incógnito com um set destruidor)«Jet» e gostei muito. Obrigado!

Anónimo disse...

Oi wellington,

Apesar de n?o conhecer o disco todo dos YYY, também me inclino para essa opini?o... e acrescentava os She Want Revenge, que por este cantinho gozam de uma popularidade que se pode explicar pela promoç?o em alguns meios de comunicaç?o. Um abraço.