15/10/06

A DESCIDA - para morrer (mesmo) de medo.
Qualquer cinéfilo que como eu, passou a infância vendo filmes de terror escondido dos pais, tęem hoje um certo culto por filmes do género. Claro que o cinismo as vezes impede de assumir mas a verdade é que todo fă de cinema adora um levar uns bons sustos, daqueles de fazer perder noites de sono. Há última vez que isso aconteceu comigo foi há anos, com The Blair Witch Project, filme de muito culto e ódios de estimaçăo que, lembro-me na época, ter me deixado impressionadíssimo com o seu realismo. Dia 29/12 (para fechar um ano de vacas magras com chave de ouro) fui ver a estreia de A Descida, a segunda obra do realizador inglęs Neil Marshall. O filme que, a partida tem uma história banal que se conta em duas linhas, revela-se uma teia de intrigas e relaçőes humanas que săo postas ŕ prova ao limite do insuportável. O Clima de claustrofobia e tensăo que o realizador cria é perturbador e de fazer se contorcer na cadeira. Estreou timidamente em uma sala do Alvaláxia e esta semana já está em duas delas. É um daqueles filmes que só o boca-a-boca lhe fará a devida justiça apesar da sensaçăo que esta causando em alguns festivais de cinema pelo mundo. Para descobrir urgentemente e se preparar para morrer de medo. [em 09.01.06]
» Consegue imaginar Almodóvar a fazer filmes pornográficos? Acho que seria algo do calibre disso.

Sem comentários: